home    issue 07   

  • Photo. Sandra Reehs


Rosália

Diego Jesus
Cover Photo. Sandra Reehs (CC BY-SA 2.0)

 

Eu aprendi a ser puta vendo filme, aprendi a putaria toda em filme. Aprendi a beijar, a foder e a gemer vendo filme. E nem pense que foi filme pornô porque não foi. Era filme, filme mesmo, filme-filme! Daqueles em preto e branco. Filmes me ensinaram muita coisa. Eu até aprendi a falar direito. Falo agora português e mexo a boca como se eu estivesse falando inglês, bem do jeito que é nos filmes...

Aprendi a fumar vendo filme. Filme e novela. Meu pai sempre dizia que novela é coisa do diabo, que só ensina o que não presta ao povo. Mas eu assistia... filme e novela. Meu pai dizia que eu também sou coisa do diabo. Daí eu aprendi a mentir, a cuspir e a matar vendo filme.

Disso tudo, o que eu curti mais mesmo foi ser puta. As putas estão em quase todo filme. Então, eu pensei 'a onda é essa! A onda, é ser puta!'. Só que no filme é tudo mais bonito.

Eu tenho é que aprender a fazer filme, porque assim eu tento fazer o meu e aproveito pra ficar por lá mesmo, falando português e mexendo a boca em inglês para o resto da vida.

Ass.: Rosália, 32 anos, prostituta

PS: A minha história é onde começa a raiva com a vida. Se eu tiver de começar a contar, começo sendo puta. Porque se gozar tem um prazer que é de verdade verdadeira, o meu maior gozo é quando me gritam ‘vadia!’. Eu gemo feito a porra.